Bem Vindo ao blog Os CEARENSES.

A REFUNDAÇÃO DO TURISMO CEARENSE

COMPARTILHE:

A agenda de resgate do Turismo do Estado somente será possível com um um novo governante que, desintoxicado do atual mecanismo que arruinou o setor em nível estadual e municipal, incorpore um modelo mental capaz de implementar um choque de gestão e de prioridades que venham a recolocar nos trilhos a economia do Turismo cearense.

O ATRASO:

A evidência dos agregados turísticos do nosso Estado apontam para o mais longo período de retrocesso dessa atividade econômica, com severas consequências para nossa população em decorrência da redução do número de empregos formais da enorme cadeia produtiva do setor. Indicadores como fluxo turístico nacional e Internacional, investimento privado em turismo e hotelaria, participação do turismo no PIB do Estado, desembarques marítimos, aéreos e rodoviários, venda de imóveis para não cearenses, interiorização de fluxos turísticos e amplitude da malha aérea nacional e internacionais revelam a enorme perda de competitividade que o Destino turístico Ceará vem contabilizando. Os símbolos do desmonte e do deserto de turistas são a falência da Monsenhor Tabosa, a completa ociosidade do Centro de Eventos, o aviltamento das tarifas hoteleiras, o fechamento de hotéis e a agravada crise do varejo local pelo desaparecimento dos consumidores não residentes no Estado.

Este quadro escancara o tamanho do desprezo com que o Governo do Estado, focado no obrismo desplanejado e desconectado das dinâmicas do mercado, vem dedicando ao setor. Mais de dois bilhões do povo foram torrados no forno de obras sem que isso tenha atraído um único novo turista. Aeroporto de Aracati que nunca recebeu voos com turistas, Terminal de Passageiros do Porto do Mucuripe que jamais atracou qualquer navio de cruzeiro, CEC – Centro de Eventos do Ceará com taxa de ociosidade acima dos 80% e que não conseguiu incrementar o número de turistas de negócios e eventos, Centro Olímpico sem atletas e esqueleto de Aquário formam o cenário das infraestruturas construídas pelos cearenses sem qualquer efeito benéfico na geração de postos de trabalho em nossa economia.

A EVOLUÇÃO:

A “Agenda de Refundação” dependerá de uma nova dinâmica governante que tenha como bússola as macro metas dos eixos abaixo:

TRABALHO E RENDA – O TURISMO será um dos setores protagonistas do bem-estar social através da criação de milhares de novas oportunidade de trabalho à população do Estado. As políticas públicas a serem implementadas vão resgatar os empregos perdidos e a boa imagem do Destino Turístico Ceará. Vamos superar os efeitos da Pandemia sobre o setor, agravados pela mais decepcionante gestão pública que já existiu em nosso Estado.
.
SEGURANÇA – Plano de comunicação e massiva promoção nacional e internacional no sentido de não permitir que a imagem, cada vez mais e perigosamente consolidada, de Destino Turístico violento, afaste brasileiros e estrangeiros de Fortaleza. Sim, é possível rebater a massacrante mídia espontânea nacional que explicita para os mercados emissores de turistas nossos robustos índices de violência, amputando nossa competitividade em face de ser este quesito o mais importante na hierarquia das prioridades de quem viaja.
Retomar o Programa Guardiões da Praia (parceira operacional da PM, Bombeiros e Guardas municipais), o qual passaria a contemplar também os demais corredores turísticos do Estado. Este programa, no passado, se mostrou bastante exitoso na redução de ocorrências policiais nos espaços em que foi implantado e dotou os pontos turísticos de grande sensação de segurança. Este método de segurança pública contava com forte atuação do setor privado no auxílio do custeio e manutenção das estruturas e equipamentos disponibilizados.


INTERIORIZAÇÃO DO TURISMO – Os polos e destinos turísticos das diversas regiões do Estado serão prioridade no processo de estruturação e de promoção. O Governo do Estado liderará as ações voltadas a interiorização de fluxos turísticos nacionais e internacionais para o interior do Estado. O Ceará deixará de ser apenas um Destino de Sol e Praia e oferecerá os Destinos de Serra e Sertão para que os Turistas conheçam. Cariri, Sertão Central, Inhamuns, Vale do Jaguaribe, Ibiapaba e Maciço do Baturité terão a mesma prioridade na promoção e publicidade turística do Estado que os Destinos situados no nosso litoral.

A FORÇA DA CULTURA NA PROMOÇÃO TURÍSTICA – Nossas tradições culturais, como nossa música, dança, culinária, artesanato e o Humor estarão no centro das experiências dos turistas no Ceará. A produção Cultural do Estado voltará a ter nos turistas seus principais clientes consumidores. A renda dos artistas será o foco das preocupações do Governo do Estado no sentido de induzir os turistas a consumirem nossos produtos culturais, em todas as regiões do Estado. Nossos Humoristas serão valorizados como vetores da nossa imagem de alegria e irreverência. O Ceará voltará a ser a terra do bom humor.

MEIO AMBIENTE, ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE – Garantir, definitivamente, através da viabilização de marcos legais modernos e socialmente responsáveis a preservação na nossa natureza. Nossos ecossistemas serão eixo da atratividade de investimentos turísticos ambientalmente responsáveis. Os impactos-benefícios das vocações econômicas das diversas regiões do Ceará serão mensurados no sentido de se conhecer qual aquelas que possuem as maiores taxas de inclusão social das comunidades locais.
Um novo Zoneamento Econômico e Ecológico será debatido com toda a sociedade afastando os riscos que hoje recaem sobre as decisões de investimentos. A segurança jurídica será a bússola dos investimentos evitando o atual quadro caótico das mudanças constantes das “regras do jogo” para os investidores privados.


INVENTARIO DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E ARQUITETÔNICO DO ESTADO – Investir na requalificação e restauração dos pontos de atratividade da nossa história e da nossa cultura, possibilitando o acesso qualificado dos turistas e residentes através de infraestruturas de acesso e do ordenamento dos arranjos produtivos locais voltados ao consumidor turista.


NOVOS POLOS DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS EM TURISMO E HOTELARIA – Incentivar o setor privado através de políticas públicas de subsídios e desonerações para a instalação de Resorts ao longo de novos corredores costeiros do litoral do Estado, sob as regras do zoneamento ambiental, o qual definirá os alcances dos impactos ambientais, gerando milhares de empregos. Planejamento de Áreas para novas bandeiras hoteleiras locais, nacionais e internacionais.


PROGRAMA DE ATRAÇÃO DE VOOS E NAVIOS – Marco legal disciplinando o conjunto de incentivos, subsídios e subvenções capazes de atrair grandes empresas Aéreas internacionais, em parceria com Operadoras de Turismo e Companhias Aéreas de voos de fretamento (Charter). O Estado apoiará as Operadoras a venderam pacotes turísticos para os variados destinos turísticos do Estado, com destaque para os roteiros interioranos. Voltaremos a ver em Fortaleza famílias de Europeus passeando e usufruindo da nossa Capital. Conduta semelhante em relação às grandes operadoras de cruzeiros marítimos que hoje ignoram nossa capital em suas rotas náuticas.


INFRAESTRUTURA ESTRATÉGICA – Solução definitiva para o Aquário de Fortaleza, ícone do absurdo e da irresponsabilidade no trato do Turismo. Governo do Estado, responsável pelo Aquário, Ponta Metálica e Farol do Mucuripe, apresentará soluções para a restauração e redefinição desses equipamentos. A Praia de Iracema será um polo de tecnologia e voltará a ser também um polo gastronômico e hoteleiro em Fortaleza, assumindo novamente sua diversidade e dinamismo turístico. Aeroportos, Teleféricos, Centros de Eventos e Terminais de passageiros em desuso serão colocados em pleno funcionamento e darão grande contribuição ao turismo de negócios, lazer e entretenimento em todas as regiões do Estado. Qualquer novo investimento em infraestruturas de fomento ao Turismo será objeto de análise de viabilidade econômica e também será mensurado o alcance social das mesmas.


PROMOÇÃO E EMULAÇÃO COM MERCADOS – Plano de Marketing, publicidade e propaganda, orçado para cobrir anualmente mercados emissores nacionais e internacionais, em parceria com o trade turístico local e com operadoras, agências de viagens e companhias aéreas.


CEARÁ DOS EVENTOS E DA ALEGRIA – O Governo do Estado envidará todos os esforços para apoiar os artistas e organizadores de eventos no sentido de alcançar a mais profunda transformação no trato da agenda cultural. O setor privado será o grande protagonista da retomada do brilho e da animação da nossa capital e Estado deixará de atrapalhar o desenvolvimento do setor de shows e eventos, passando a apoiar o segmento.


FOMENTO AO SETOR PRIVADO – O Conselho Estadual do Turismo será efetivamente reativado como instância superior na definição das políticas públicas voltados ao setor do Turismo no Estado. Através dele serão debatidos e implantados programas de apoio e incentivos governamentais para as micro, pequenas e médias empresas que atuam no segmento. Programas de desoneração de tributos e custos operacionais serão implementados no sentido de evitar fechamento de hotéis, bares e restaurantes, agências de viagens e demais empresas dos elos da cadeia produtiva do turismo.


PROFISSIONALIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA – A postura fundamental do proximo governante será patrocinar uma gestão pública do Turismo que seja tocada de forma profissional. Será incorporado a administração pública estadual as melhores práticas de gestão existentes em países ícones do Turismo mundial. A gestão do setor terá padrão internacional dentro do conceito de contrato de gestão, com uma equipe experiente, motivada e liderada por gestor técnico, focado e de grande habilidade negocial. Vamos introduzir na administração pública estadual modernos conceitos de governança corporativa. O Governador do Estado despachará quinzenalmente com a equipe da SETUR e cobrará o cumprimento das metas e aplicará a política de consequências de acordo com os resultados produzidos pela pasta. Com isso os resultados serão efetivamente mensurados e a meta diária será alcançar a capacidade de entrega dos serviços públicos, em linha com os destinos turísticos mais avançadas do mundo. Com isso, seremos capazes de perseguir desafios tão importantes para o grau de cidadania da população do Ceará, mostrando que a economia do turismo será um grande atalho para a inclusão social pelo viés do emprego e da renda.

COMPARTILHE:

Picture of Allan aguiar

Allan aguiar

VEJA TAMBÉM

ASSINE A NEWSLETTER OS CEARENSES

Os CEARENSES

Assine a Newsletter
Os CEARENSES